A ação dos óleos essenciais – VERDEINBOX
462
post-template-default,single,single-post,postid-462,single-format-standard,wp-custom-logo,theme-wellspring,mkdf-bmi-calculator-1.1,mkd-core-1.3.3,woocommerce-no-js,wellspring-ver-2.4.2,mkdf-smooth-scroll,mkdf-smooth-page-transitions,mkdf-ajax,mkdf-blog-installed,mkdf-header-standard,mkdf-sticky-header-on-scroll-down-up,mkdf-default-mobile-header,mkdf-sticky-up-mobile-header,mkdf-dropdown-animate-height,mkdf-full-width-wide-menu,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.1,vc_responsive

A ação dos óleos essenciais

COMO AGEM

O olfato é o mais sensível e imediato dos sentidos, por isso os aromas são, em geral, tão evocativos. Substâncias químicas presentes em um odor podem desencadear respostas fisiológicas e afetar o estado mental. Esses efeitos combinados permitem que os óleos aromáticos ajam de maneira holística na mente, no corpo e no espírito, proporcionando equilíbrio, tratamento e, muitas vezes, bem-estar profundo.

MENTE

Os óleos essenciais podem ser usados para ajudar a promover estados mentais. Os estimulantes, por exemplo, aumenta a concentração, enquanto os calmantes relaxam e combatem os efeitos do estresse.

BEM ESTAR E HUMOR

Óleos essenciais tem muitos componentes que afetam o sistema nervoso, melhorando esses dois aspectos. Estudos mostram que o composto linalol, presente na lavanda e na Sálvia esclareia, reduz a ansiedade, assim como o limoneno, encontrado em diversos óleos cítricos, que também ameniza depressão.

Óleos essenciais de camomila e Bergamota contém os compostos alfa e beta-pineno que agem como antidepressivos, ajudando a elevar o ânimo e aumentar o bem estar.

A ansiedade e a depressão afetam a mente, mas o corpo também pode sofrer com tensão muscular, por exemplo. Muitos óleos apresentam propriedades para melhorar o humor e os efeitos fisiológicos, portanto, cuidam de sintomas mentais e físicos.

Uma massagem acrescenta aos já conhecidos benefícios relaxantes do toque os efeitos terapêuticos dos óleos, o que costuma ser muito prazeroso e revigorante. Apenas sentir um aroma agradável, como o de tangerina ou baunilha, pode reduzir a tensão muscular provocada por estresse.

RELAXAMENTO

Os efeitos dos óleos nesse aspecto são bem documentados. Eles ajudam a relaxar por meio de um complexo processo que envolve várias partes do cérebro. Uma teoria é a de que o linalol, encontrado em óleos como o de lavanda, regula o Neuro-hormônio GABA (ácido gama-aminobutírico), o que equilibra os níveis de adrenalina, noradrenalina e dopamina.

CONCENTRAÇÃO

Alguns óleos limpam e dão um foco a mente. Inalar olha essencial de alecrim, por exemplo, pode melhorar a memória em até 75%. Ele contém eucalipto, que age de maneira semelhante aos medicamentos contra demência, aumentando a produção do Neuro transmissor acetilcolina, que ajuda a regular a atividade cerebral.

EQUILÍBRIO

Muitos óleos essenciais podem relaxar ou estimular, conforme a necessidade, são os adaptógenos. Eles regulam sistemas corporais em um processo conhecido como homeostase. Ajudam o corpo a processar o estresse ao recarregar as glândulas adrenais, que podem ficar super estimuladas ou exauridas com o estresse. Lavanda, rosa, e gerânio são exemplos.

FUNCIONAMENTO HOLÍSTICO

O conceito de cura holística envolve tratar a pessoa por inteiro para que corpo, mente e espírito fiquem em harmonia. Essa abordagem difere da convencional, que usa remédios para atacar ou suprimir sintomas, mas nem sempre trata a raiz de um problema.
Óleos essenciais agem na mente e no corpo para atingir uma recuperação mais profunda. Relaxado, o corpo é mais eficiente em eliminar toxinas e manter a circulação saudável. Inalar óleo de pimenta-do-reino dá apoio físico e mental a fumantes em luta contra o vício, pois, além de descongestionar, ajuda a diminuir a vontade de fumar.

CORPO

Óleos essenciais são tratamentos naturais, potencializando as propriedades medicinais tradicionalmente associada às plantas. Alguns podem ser anti-inflamatórios, antissépticos e antifúngicos, por exemplo, e outros, antimicrobianos, ajudando a eliminar microorganismos prejudiciais ao corpo e, portanto, a proteger contra doenças.

AÇÃO ANTISSÉPTICA

Muitos óleos essenciais destroem bactérias, vírus e fungos que provocam infecção. Acredita-se que um dos óleos essenciais antissépticos mais conhecidos, o de tea Tree (melaleuca), seja tão eficaz quanto tratamentos convencionais para pé de atleta, e pesquisas recentes sugerem que feridas infeccionadas com a bactéria Staphylococcus aureus têm recuperação mais rápida quando tratadas com esse óleo que com métodos tradicionais. Alguns componentes químicos, como o timol do óleo essencial de tomilho, mentol do de hortelã e o eugenol do de cravo, são antissépticos poderosos. Estudos demonstram que inalar esses óleos pode ser tão eficaz quanto aplicá-los diretamente na pele, e a terapia com inalação de óleo essencial é usada para tratar os sintomas da bronquite e da sinusite aguda há muitos anos.
Uma vez que muitas cepas de bactérias tornam-se resistentes aos antibióticos tradicionais, óleos essenciais começam a ser vistos como uma alternativa viável.

ALÍVIO DA DOR E REDUÇÃO DA INFLAMAÇÃO

Óleos essenciais são muito usados para aliviar dor localizada, por suas propriedades anestésicas suaves. Os de tomilho, rosa, eucalipto, cravo, Bergamota e erva-doce, entre outros, atuam no corpo de maneira semelhante a drogas anti-inflamatórias não esteroides, como o Ibiprofeno, inibindo as enzimas do corpo que provocam inflamação, inchaço e dor. O efeito analgésico os torna úteis para aliviar dores musculares, articulares e localizadas, como dor de cabeça comum, entorses e fadiga.
A dor muitas vezes é acompanhada de inflamação. Muitos óleos essenciais tem propriedades que a combatem. Um exemplo notável é o de Olíbano. Diversas variedades desse óleo inibem a produção de proteínas inflamatórias chamadas citocinas e previnem o vazamento de glóbulos brancos, conhecidos como leucócitos, para os tecidos, duas causas da inflamação.

AÇÃO DE LIMPEZA

Quando estão funcionando bem, pulmões, fígado, sistema digestório, rins e pele favorecem a remoção de resíduos e toxinas do corpo. Fatores negativos, como estresse, ansiedade, má alimentação e falta de sono, podem interferir no processo. Óleos essenciais, em geral tem propriedades desintoxicantes que ajudam a limpar o corpo e a manter o sistema excretor saudável.
A substância D-limoneno, por exemplo, presentes em frutas cítricas como a laranja, limão-siciliano, mandarina, limão-taiti e grapefruit, melhora o funcionamento do fígado e auxilia a regular o apetite e a diminuir o colesterol. Óleos de zimbro, Grapefruit, alecrim, erva doce e cipreste tem efeito diurético suave que contribui para o trabalho dos rins, estimulando eliminação do excesso de água. Combinar esses óleos com uma massagem leve e uma escovação no corpo estimula a circulação saudável do sangue e do sistema linfático e, consequentemente a eliminação de resíduos.

FORTALECIMENTO DA IMUNIDADE

Óleos essenciais melhoram e fortalecem a resposta imune a doenças, promovendo o bem-estar.
Alguns estimulam a produção de glóbulos brancos, como fagócitos, linfócitos T e linfócitos B, vitais para defesa e imunidade do organismo. Os óleos de eucalipto e niaouli, em particular, favorecem o processo conhecido como fagocitose, em que os fagócitos, que são glóbulos brancos maiores, engolfam e destroem ou desativam bactérias e vírus.

O composto linalol, encontrado em altos níveis em óleos essenciais como o de lavanda, Sálvia, louro e eucalipto, também torna os glóbulos brancos mais eficientes.

INFLUÊNCIA SOBRE OS HORMÔNIOS

O sistema endócrino secreta hormônios para regular os processos corporais. Os óleos essenciais podem influenciar a ação deles e amenizar desequilíbrios. O de alecrim é relaxante e reduz os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, enquanto o calmante óleo de rosa diminui as taxas de adrenalina. Acredita-se que vários óleos essenciais contribuam para regular os hormônios femininos durante os diferentes estágios da vida reprodutiva. O de lavandim ajuda a controlar mudanças de humor induzidas por hormônios, efeito regulador semelhantes aos de sálvia esclareia, erva-doce, manjericão, sálvia, cipreste e gerânio.

O CONCEITO DE SINERGIA

Misturar óleos pode intensificar os efeitos. Combinar um antiviral com um anti-inflamatório, por exemplo, oferece alívio mais eficaz contra tosses e resfriados. Isso, em geral, é chamado de sinergia, mas o conceito vai além da mistura.
Muitas vezes, atribuem-se os benefícios terapêuticos dos óleos essenciais a um ou dois componentes primários. No entanto, cada vez mais evidências indicam que eles vêm da interação entre os elementos primários e secundários. Estudos mostram que o óleo essencial de tomilho tem efeito antibacteriano maior do que o seu componente primário isolado, o timol. Ainda há muito a compreender sobre essa sinergia, mas está claro que, apesar de a ciência atender ao uso de elementos isolados, os óleos como um todo apresentam benefícios que não podem ser aplicados no laboratório.
Os componentes de um único óleo agem juntos com maior eficácia.

No Comments